"Alcateia": turma do FIS 9 apresenta seu Projeto Referência

Da mesma forma que na edição passada, os alunos do FIS deverão encarar seu desafio de forma inovadora: além de mergulhar na discussão sobre gestão de áreas protegidas públicas e privadas, a turma deverá elaborar um jogo de tabuleiro que contemple a complexidade do tema 21/09/2014
COMPARTILHE

Por Bruno Toledo e Milene Fukuda (GVces)
 

Na jornada dos alunos da disciplina eletiva Formação Integrada para Sustentabilidade (FIS), da FGV-EAESP, um dos momentos mais importantes é a apresentação pública de seu Projeto Referência, do desafio para o qual os próximos meses de trabalho serão dedicados. É o momento de mostrar o rosto, de mostrar o desafio, de mostrar a identidade coletiva da turma.

Não foi diferente para a 9ª turma do FIS. Realizado no dia 16 de setembro passado no Auditório Itaú da FGV-SP, o "kick off" do FIS 9 contou com a presença de convidados, além de alunos e professores da FGV, e apresentou o desafio e o plano de trabalho inicial da turma para os próximos meses. O evento também foi marcado pela apresentação da identidade coletiva dos "fisers" da 9ª edição: "Alcateia", coletivo de lobos.

 

O Projeto Referência

Prosseguindo com uma proposta iniciada na edição passada do FIS (Turma "ENLACE", FIS 8), nesse semestre os alunos da disciplina deverão confrontar o desafio de seu Projeto Referência a partir de uma perspectiva inovadora e transformadora. No caso, os fisers deverão produzir um jogo de tabuleiro que apresente uma contribuição significativa à complexa questão da Gestão de Áreas Protegidas públicas e privadas no Brasil.

Assim, o trabalho deverá investigar o tema em sua profundidade, identificar modelos de gestão de vanguarda, mapear políticas e práticas que possam ser inspiradoras para gestores públicos e privados, além de reconhecer as questões ambientais, sociais, culturais e econômicas implícitas nesta realidade. Ao mesmo tempo, a turma precisará pensar num produto final que aborde o tema em sua multidimensionalidade a partir de um jogo de tabuleiro.

Nesse semestre, o FIS contará com o apoio da Konrad Adenauer Stiftung (KAS), da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), do Instituto Semeia, do Grupo Votorantim, da Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (ABETA), além da Gol Linhas Aéreas e do Banco Itaú, este último parceiro histórico do FIS. Na condução dos trabalhos do tabuleiro, a turma também contará com o apoio da Fabiano Onça Games, empresa brasileira com experiência e premiações internacionais no desenvolvimento de jogos corporativos, que recentemente apoiou a Plataforma Empresas pelo Clima (EPC) na elaboração do jogo "Celsius - O Desafio dos 2ºC". Clique aqui e saiba mais sobre os parceiros do FIS.

A gestão de áreas protegidas é um tema estratégico para o Brasil, mas ainda temos dificuldades estruturais para encará-lo apropriadamente. O brasileiro possui pouca intimidade com a conservação e a valoração dessas áreas e, por isso, pouco se conscientiza da necessidade de conservá-las para as futuras gerações. Além de patrimônios naturais e culturais, essas áreas são fonte de serviços ecossistêmicos, que interferem em regulação climática, processos de erosão, produtividade agrícola, biodiversidade e nos fluxos de recursos hídricos.

Ao ignorar um tema tão importante, o país também acumula perdas econômicas consideráveis. De acordo com estudo da LCA e do Instituto Semeia, o Brasil deixa de arrecadar mais de R$ 53 bilhões em dez anos e deixa de criar cerca de 55 mil postos de trabalho.

A proposta para elaboração do jogo de tabuleiro do FIS 9 é impulsionar os diversos agentes envolvidos a refletir sobre o tema a partir de novas narrativas, de forma a incentivá-los a desenvolver soluções de vanguarda na gestão de áreas protegidas.

Clique aqui para saber mais sobre o Projeto Referência do FIS 9.

 

 

A identidade: Alcateia

Uma inspiração para os alunos da turma 9 do FIS foi uma experiência realizada no parque de Yellowstone, nos Estados Unidos, há alguns anos. Depois de décadas de ausência, os administradores do parque soltaram alguns indivíduos de lobos selvagens no parque. Esperava-se que a liberação dessa espécie no território do parque gerasse impacto nas dinâmicas de interação entre diferentes espécies, particularmente na cadeia alimentar, mas depois de alguns anos os impactos observados foram muito além do imaginado: a reintrodução dos lobos selvagens possibilitou a recuperação do ecossistema local. Saiba mais sobre o caso de Yellowstone em vídeo aqui.

Assim, a turma do FIS 9 escolheu como identidade coletiva a palavra "Alcateia". Para os fisers da turma Alcateia, o trabalho deles no tema de gestão de áreas protegidas pode ir além da conscientização de administradores de áreas públicas e privadas - afinal, perspectivas inovadoras para desafios complexos podem nos levar a caminhos e resultados novos.

Próximos passos

A turma Alcateia do FIS 9 já começou a se debruçar no tema de gestão de áreas protegidas. Com o apoio das organizações parceiras, os alunos já receberam especialistas e profissionais da área para encontros na FGV. No final de agosto, a turma também realizou a micro imersão, um fim de semana de viagem para o interior de Minas Gerais, aonde eles conheceram o Parque Estadual do Sumidouro e conversaram com atores locais relevantes para o tema. Em outubro, a Alcateia fará a macro imersão - uma semana de trabalho de campo intenso.

Você pode acompanhar o dia-a-dia de trabalho do FIS Alcateia no Diário da Turma e na fanpage do FIS no Facebook.

Fotos: Milene Fukuda