Alunos do FIS apresentam desafio do Projeto Referência

A sexta turma do FIS mostrou seus objetivos e sua proposta de trabalho para o tema que compõe o Projeto Referência deste semestre 12/09/2012
COMPARTILHE

Por Bruno Toledo (GVces)

A necessidade de obter energia para alimentar a produção industrial e os equipamentos que facilitam a vida cotidiana vem traçando uma história de impactos no planeta. O vetor mais emblemático é o consumo excessivo de combustíveis fósseis que se desenha a partir da segunda metade do século XIX, marca fortemente o século XX e avança pelo XXI gerando concentração excessiva de gases de efeito estufa (GEE) na atmosfera e contribuindo seriamente para as mudanças climáticas. Em paralelo, seguem declinando as reservas globais de petróleo. Assim, a segunda década do século XXI traz à humanidade a missão de pensar em outras fontes energéticas, que possam ao mesmo tempo suprir a demanda por energia, substituir as fontes fósseis e diminuir o padrão de emissões de GEE.

Dentro desta crise energética, podemos apontar um importante fator urbano: desde 2007, a maior parte da população global vive em cidades. No Brasil, mais de 80% de seus habitantes moram em zonas urbanas. As comunidades urbanas são responsáveis por 75% das necessidades energéticas globais, e suas demandas em energia crescem na medida em que a população urbana aumenta. 

O desafio da sexta turma da disciplina Formação Integrada para Sustentabilidade (FIS) procura refletir e construir caminhos possíveis dentro deste problema complexo. O primeiro passo rumo a esse trabalho ocorreu em 12 de setembro, no Salão Nobre da FGV-SP, com o “kick-off” do Projeto Referência do FIS neste semestre.

 “Click”: energias renováveis e tecnologia limpa

O desafio do Projeto Referência da sexta turma do FIS é a concepção de um roadmap (mapa do caminho) para o desenvolvimento de um polo regional de tecnologia limpa. Este roadmap deve articular setor público, iniciativa privada e sociedade civil, com o objetivo de reduzir as emissões de carbono, fomentar as cadeias de valor, promover a eficiência energética com matrizes limpas de energia, e incentivar a criação de empregos "verdes", que possam estimular o desenvolvimento local. 

Este desafio é a primeira parte de um projeto maior de discussão sobre cidades sustentáveis, no qual futuras turmas do FIS também desenvolverão projetos temáticos para refletir sobre aspectos importantes da sustentabilidade em áreas urbanas.

O esforço de pesquisa já começou com o diálogo em sala de aula com especialistas na área de energia e cidades, e contará com o emblemático estudo de campo, oportunidade que os fisers têm de conhecer experiências práticas, de conversar com atores relevantes e de refletir sobre o seu papel dentro do desafio do Projeto Referência. Neste semestre, os fisers irão conhecer casos de produção de energia e de tecnologia limpa e discutir o tema com especialistas e atores locais em Foz do Iguaçu, no Paraná, e em Santa Catarina, no interior do estado e na região de Florianópolis. Por sua vez, o foco do trabalho da turma será a cidade paulista de Araraquara e a a construção de um plano sustentável para a cidade, que articule geração mais limpa e consumo mais racional de energia elétrica.

Para os alunos, o desafio da produção de energia limpa impõe uma situação ambígua, onde a complexidade do problema convive com a simplicidade que a energia adquiriu na vida cotidiana moderna: o simples "acender" de uma lâmpada reflete tanto a facilidade que temos ao acioná-la como a complexidade que é produzir e transportar a energia que permite o acendimento da lâmpada. 

Com este raciocínio em mente, os fisers apresentaram sua identidade neste semestre: Click, o som da energia sendo entregue às pessoas. Para a turma, novas ideias são necessárias para compreender o desafio e para construir possíveis caminhos para solucioná-lo, já que o modelo atual de produção e de consumo de energia é insustentável para o futuro.

Sobre o FIS

Esta disciplina eletiva é oferecida semestralmente aos alunos de graduação da FGV-SP pelo programa de Formação Integrada do GVces, com o objetivo de contribuir para a emergência de gestores com visão estratégica orientada à sustentabilidade, aptos a lidar com uma realidade complexa, com alta demanda por inovação.

No FIS, os alunos são convidados a refletir sobre questões-chave da sustentabilidade e a desenhar caminhos para problemas reais das operações empresariais. A cada semestre e a cada turma, um desafio novo é apresentado na forma de um Projeto Referência, que se baseia em experiências práticas, diálogo com a realidade, na intenção de recomendar encaminhamentos e propostas de soluções. Além do Projeto Referência integra o FIS o Projeto de Si Mesmo, um espaço de reflexão que tem como foco a autoformação do aluno, visando sua emergência como sujeito e, a partir dela, a superação de individualismos e o aprimoramento de sua capacidade de entrar em relação consigo mesmo, com o outro e com seu entorno.

Fotos: Leeward Wang (GVces)