Bota na Mesa | Ciclos anteriores: jornada de co-formação com agricultores

23/01/2018
COMPARTILHE

Os dois primeiros anos do Bota na Mesa foram pautados por um trabalho intensivo de co-formações em campo junto a nove organizações de agricultores localizadas na cidade de São Paulo e entorno, com o objetivo de ajudá-las a acessar novos mercados para escoar sua produção.

A escolha das organizações de agricultores participantes envolveu os seguintes critérios: (i) o perfil socioeconômico dos membros da organização, priorizando aqueles em maior situação de vulnerabilidade; (ii) a sua importância para a preservação ambiental e a resiliência da cidade, buscando organizações em locais de relevância para a disponibilidade de recursos naturais e que promovem boas práticas em sua produção; e (iii) um potencial produtivo capaz de gerar excedente para ampliar suas vendas.

Veja aqui o perfil de cada organização participante.

O primeiro ano de trabalho foi dedicado a diagnosticar as práticas de gestão e relacionamento das cooperativas, avaliar os principais canais de comercialização já acessados e conhecidos e selecionar mercados desejados para a expansão das vendas. Ao final daquele ano, cada cooperativa construiu um plano de ação para acessar um mercado alvo, envolvendo etapas como pesquisa de mercado, análise financeira e reuniões comerciais.

Clique na imagem para abri-la em maior resolução

Além desta frente com os produtores, o Bota na Mesa também realizou um ciclo de oficinas com o Grupo St. Marche, parceiro do projeto, com o objetivo de identificar desafios e oportunidades de atuação visando a inclusão de pequenos produtores em sua cadeia de fornecimento.

Para saber mais a respeito do primeiro ano de trabalho do projeto, acesse a publicação Bota na Mesa: Ciclo 1 em Revista.

O segundo ano teve como foco principal o apoio e acompanhamento da implementação dos planos de ação. Este ciclo envolveu forte articulação com atores da cadeia para realização dos pilotos de venda e negociação dos produtores com os canais de comercialização. Esse ciclo também exercitou, junto às organizações de produtores, aspectos de gestão e finanças para melhor estruturá-las. A figura abaixo apresenta as atividades realizadas nesta segunda etapa.


Clique na imagem para abri-la em maior resolução 

Para saber mais sobre cada atividade realizada nos dois primeiros anos do Bota na Mesa, acesse aqui.

Para conhecer os resultados destes dois anos do projeto, acesse a publicação Bota na Mesa: Agricultura familiar e o abastecimento de grandes centros urbanos.