Brasil: a Economia Natural do Conhecimento

COMPARTILHE

    Brasil: a Economia Natural do Conhecimento- constitui o fruto tangível da parceria estabelecida entre Demos e CGEE para analisar o processo de transformação da inovação do Brasil, cada vez mais intenso e de melhor qualidade. O objetivo é de configurar o papel que o país está assumindo no cenário mundial, neste início de século, caracterizado pela consolidação da chamada economia do conhecimento.
    Demos, uma organização britânica de consultoria e pesquisa, sediada em Londres, desenvolveu o projeto Atlas of Ideas, com o fim de "explorar as mudanças na geografia global de ciência e inovação", detectando os novos focos e fontes de criação na área científica e tecnológica no mundo. Em sua primeira fase, o projeto realizou uma avaliação compreensiva sobre a inovação na China, na Índia e na Coréia do Sul. O Brasil constituiu um dos focos propostos para a segunda fase, juntamente com a África do Sul e os países Islâmicos. Buscando alcançar os objetivos dessa etapa, a Demos convidou o Centro de
Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), por seu conhecimento e experiência em CT&I, e como Organização Social que atua no âmbito do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), para colaborar no mapeamento do cenário de ciência e inovação de base tecnológica no país. O Centro teve um papel preponderante na identificação de pessoas e instituições com atuação marcante nessa área, que
pudessem colaborar na an?lise do desenvolvimento da capacidade de inova??o do Brasil e prospectarsuas tendências de evolução nos próximos 15 anos.
    O projeto, coordenado pelo lado britânico por Kirsten Bound, pesquisadora sênior da Demos, possibilitou identificar oportunidades concretas para colaboração entre cientistas, formuladores de políticas e líderes empresariais no Brasil, na Europa e no Reino Unido, além de propor elementos para embasar uma agenda de ação, iluminando a política e o debate entre os países envolvidos. Seus resultados foram publicados na Inglaterra, com ampla repercussão naquele e em vários outros países.
Com essa tradução para o português da publicação inglesa, o CGEE reafirma seu entusiasmo com o projeto e espera, ao compartilhar suas conclusões e recomendações, não apenas com as comunidades científica e empresarial, mas também com a sociedade brasileira, contribuir efetivamente para o aprimoramento da ciência e inovação no Brasil.

Acesso à publicação