Histórico do programa de Consumo

Confira destaques da trajetória do programa Consumo e Produção Sustentáveis que lida com diferentes temas da sustentabilidade no consumo público e privado. 30/12/2014
COMPARTILHE

O programa nasce em 2007 com o objetivo de estimular políticas e práticas socioambientais nas compras e contratações do setor público e privado, além de disseminar informações a respeito de produtos e serviços sustentáveis e a conscientização do público consumidor.

No contexto do poder público, algumas das contribuições do programa nos últimos anos foram a proposta de inclusão de critérios ambientais na lei de licitação da Cidade de São Paulo, treinamentos em licitação sustentável para técnicos de governo, e ainda a participação em audiência pública no Congresso Nacional a respeito da introdução de critérios ambientais na Lei de Licitações.

Mas a atuação do programa Consumo e Produção Sustentáveis na esfera pública vai além. Até 2014, quando era denominado apenas Consumo Sustentável, o programa teve forte atuação em questões ligadas ao consumo de madeira e, mais recentemente, vem fortalecendo o foco em compras públicas sustentáveis. Tal foco foi ampliado incluindo também as compras da iniciativa privada e ainda olhando para recortes específicos como as compras em grandes eventos.

Confira a seguir destaques dessa trajetória.

 

Madeira!

A Rede Amigos da Amazônia (RAA) foi um projeto que teve envolvimento do GVces de 2008 a 2011, em parceria com o Centro de Estudos em Administração Pública e Governo da FGV-EAESP (GVceapg), com o intuito de estimular a compra de madeira de origem legal. Sua missão era introduzir critérios de sustentabilidade nas compras públicas e privadas de madeira, eliminando o consumo de madeira ilegal e influenciando o aumento da oferta de matéria-prima de origem legal e certificada, além de estimular a adoção de políticas e práticas, públicas e privadas, condizentes com a conservação florestal.

Especificamente em relação ao poder público, a RAA atuou por meio dos programas Cidade Amiga da Amazônia e Estado Amigo da Amazônia, estimulando a adesão de governos municipais e estaduais à Rede e dessa forma o comprometimento oficial com o uso de madeira de origem legal nas obras públicas.A ideia era estimular fornecedores a garantirem a origem de seu produto, e chamar a atenção da sociedade como um todo para a importância do consumo responsável de produtos de origem florestal. No final de 2011, a coordenação do projeto passou à responsabilidade do GVceapg.

Fruto de uma pesquisa promovida pela Rede Amigos da Amazônia, a publicação "Madeira de ponta a ponta" acompanha a evolução dos impactos da produção e do consumo ilegal de madeira no mundo, e identifica mecanismos institucionais que podem reverter esta situação predatória. Seu lançamento acontece em 2012.

Saiba mais

 

Compras Públicas Sustentáveis

A experiência acumulada em projetos anteriores, leva o CPS - ainda chamado de programa Consumo Sustentável à época - a um mergulho na questão da sustentabilidade nas compras realizadas pelo poder público.

As compras públicas representam 16% do PIB brasileiro, o que coloca o próprio governo como um consumidor importante dentro da economia nacional, com um papel relevante na promoção de práticas de sustentabilidade tanto com os fornecedores como com os demais consumidores.

Em dezembro de 2012, o GVces lançou o livro "Compra Sustentável: A força do consumo público e empresarial para uma economia verde e inclusiva", publicado em parceria com o ICLEI, que aborda os desafios e as oportunidades da inserção de critérios de sustentabilidade nas compras institucionais de governos e empresas. Confira a publicação aqui.

Confira o evento promovido pelo GVces sobre compras públicas sustentáveis durante a Rio+20, em junho de 2012.

 

Papel do consumo público e empresarial na economia verde e inclusiva

nullDesde os primórdios da humanidade, o ato e consumir está associado ao atendimento das necessidades básicas à sustentação da vida. Ao longo dos séculos, o verbo "comprar" definiu limites entre riqueza e pobreza, desenvolvimento e subdesenvolvimento, saúde e doença, e até entre felicidade e tristeza. Valores baseados em cifrões, volumes e quantidades se sobrepuseram à qualidade, ao uso justo e sustentável.

No mundo em transformação, os esforços destinados a combater o aquecimento global, alimentar a população crescente, reduzir a desigualdade social e garantir os recursos naturais para o bem estar futuro do ser humano passam necessariamente pela maneira como governos, empresas e indivíduos exercem seu poder de compra.

Surgem novos padrões no horizonte. Com o objetivo de dimensionar o desafio e apontar caminhos para mudanças via consumo institucional - público e privado - o GVces e o ICLEI - Governos Locais pela Sustentabilidade desenvolveram um estudo por ocasião da Rio+20, como referência para o debate da chamada "economia verde e inclusiva". Além de uma perspectiva histórica, os autores analisam a interação entre os diferentes elos desse processo e trazem ilustrações didáticas sobre o papel de algumas cadeias de fornecimento na redução de impactos socioambientais. Soluções, experiências e proposições endereçam o tema para a agenda da sustentabilidade.

Acesso à publicação

 

Saiba mais:

Catálogo Sustentável
Guia de Compras Públicas Sustentáveis
Rede Amigos da Amazônia


A plataforma eletrônica Catálogo Sustentável armazenava informações sobre produtos e serviços avaliados a partir de critérios de sustentabilidade e selecionados pela equipe de especialistas do GVces.

A plataforma reunia informações sobre características técnicas, aspectos de sustentabilidade, certificações e fornecedores dos produtos e serviços selecionados.

Destaques

- Avaliação e estudo comparativo dos preços de produtos sustentáveis

- Levantamento de produtos sustentáveis em todo o Brasil (segundo metodologia desenvolvida pela equipe de Consumo Sustentável)