Desafio do FIS 6

15/08/2012
COMPARTILHE

 

"As cidades, como os sonhos, são construídas por desejos e medos, ainda que o fio condutor de seu discurso seja secreto, que as suas regras sejam absurdas, as suas perspectivas enganosas e que todas as coisas escondam uma outra coisa."
Italo Calvino
 

Metade da humanidade vive hoje em cidades. E dentro de duas décadas, quase 60% da população do mundo, 5 bilhões de pessoas, serão residentes urbanos (Fonte: UN-HABITAT). O acelerado avanço demográfico, o rápido processo de urbanização, a falta de planejamento e o estilo de vida urbano adotado no último século trouxeram amplos progressos e complexos desafios.

Nas palavras de Jane Jacobs, no âmbito de construção e desenho urbano, cidades são um imenso laboratório de tentativa e erro, fracasso e sucesso. Também são programas políticos materializados, espelhos da sociedade e de seus sistemas de governança, manifestações físicas das crenças, valores e pensamentos de seus habitantes e a viabilidade de seu sistema social é uma representação do sucesso ou fracasso destes tecidos humanos.

Entender e mediar as percepções dos diferentes atores, aprender a se colocar no lugar do outro e buscar compreender a intrincada ordem social e econômica sob a aparente desordem das cidades são questões importantes para pensarmos na complexa relação entre a estrutura física urbana, a gestão de ativos de infraestrutura e a vida na cidade a fim de compreendermos onde estamos e para onde vamos.

O momento atual representa uma ótima oportunidade para o Brasil fomentar o desenvolvimento urbano sustentável, por meio da geração de energia renovável e eficiência energética. Dada a urgência da questão, lideranças das diversas instâncias da sociedade são instigadas a criar novos modelos econômicos, políticos e culturais que fundamentem a governança e gestão do espaço público.

 

Projeto Referência 2º Semestre de 2012

Conceber um roadmap para o desenvolvimento de um polo regional - cluster - de tecnologia limpa. Esse roadmap - que pode se dar na forma de projeto-piloto - deve envolver e articular o setor público, privado e a sociedade civil com o objetivo de reduzir emissões de carbono, fomentar cadeias de valor ligadas a eficiência energética e a geração de energia renovável, incentivando a criação de “empregos verdes” e estimulando, por fim, uma nova prosperidade, do local para o global.

Este desafio envolve:

- Conceber uma plataforma de conhecimento sobre o tema;

- Estabelecer diretrizes para um mercado regional de energia limpa;

- Estabelecer mecanismos financeiros para inovação verde;

- Desenvolver “talentos verdes”;

- Estimular a comercialização de tecnologias limpas.

Este desafio exige o estudo:

- Do marco regulatório do setor;

- De tecnologias disponíveis e em construção;

- De modelos de negócio de geração e distribuição de energia limpa;

- De alternativas de financiamento;

- Do papel da cultura e comportamento para um cenário de energia mais promissor pelo lado da demanda;

- De benchmarks municipais e regionais que migraram para a utilização prioritária de fontes renováveis de energia e/ou desenvolveram significativos programas de eficiência energética.

O produto final mira:

- Objetivos ambiciosos e factíveis;

- A emergência de cidades líderes em sustentabilidade urbana, e, em particular, como exemplos na adoção de ações voltadas para eficiência energética e uso de energia renovável, respeitada a vocação local;

- Ser fonte de inspiração para um mercado nacional de energia limpa de base local;

- Ser um marco na expansão de oportunidades de negócio e de geração de renda por meio de empregos verdes.