Doria fez promessas ultrapassadas e incompletas para a sustentabilidade

06/12/2016 - CBN Radio - Pedro Duran
COMPARTILHE

SEGUNDA, 05/12/2016, 06:55 Doria fez promessas ultrapassadas e incompletas para a sustentabilidade

 

Na avaliação de especialistas ouvidos pela CBN, prefeito eleito de São Paulo não tem projetos ideais para a cidade.  Ele prometeu reformar calçadas, monitorar poluição de veículos, fortalecer cooperativas de catadores e trabalhar em rede com a Região Metropolitana.

 

Áudio

 

Doria muda discurso sobre não aumentar da tarifa de ônibus (Crédito: Edilson Dantas / Agencia O Globo) Doria muda discurso sobre não aumentar da tarifa de ônibus Crédito: Edilson Dantas / Agencia O Globo Por Pedro Duran

 

O prefeito de São Paulo Fernando Haddad deve entregar para seu sucessor João Doria uma cidade que recicla apenas 5% de todo o lixo produzido, metade de sua meta no começo da gestão.

 

Já o prefeito eleito promete ampliar a coleta seletiva priorizando as parcerias com as cooperativas de catadores e reciclagem.

 

Para o pesquisador do Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas, André Pereira de Carvalho é inconcebível vislumbrar uma cidade como São Paulo sem pensar os conceitos de economia circular e logística reversa, onde a empresa vai até o consumidor para recuperar o lixo por motivos econômicos.

 

Já o controle da poluição causada por veículos tornou-se pago e obrigatório na gestão do prefeito Gilberto Kassab.  Haddad derrubou a medida.  Agora, Doria quer retomar a regra para ônibus e caminhões e estudar a possibilidade de estender para carros, mas de forma gratuita.

 

Mesmo assim, o professor de urbanismo sustentável do Mackenzie Afonso Vanoni de Castro avalia que a medida terá forte resistência popular e pode não sair.

 

Se nas ruas a ordem é filtrar o ar, nas calçadas o plano é padronização e reforma.  O problema é que apenas mil dos 31 mil quilômetros de calçamento na cidade são permeáveis para a chuva e acessíveis.

 

A futura gestão já fala em dividir a conta da reforma com as empresas e moradores, mas para a coordenadora do Laboratório de Sustentabilidade da Escola Politécnica de Engenharia da USP, Tereza Cristina Carvalho, ninguém vai querer tirar dinheiro do bolso.

 

Os especialistas em sustentabilidade ouvidos pela CBN elogiaram a ideia da equipe de Doria de criar uma rede entre as cidades da Região Metropolitana para resolver problemas de mobilidade, saneamento, lixo e drenagem do solo.  No entanto, na opinião deles, cada prefeito deve acabar priorizando suas próprias metas e promessas, deixando as ideias compartilhadas para segundo plano.

 

SEGUNDA, 05/12/2016, 06:55