Empresas e indústrias têm até o dia 10/05 para aderir ao Registro Público de Emissões

Publicação de inventários na maior base pública de emissões da América do Sul agrega competitividade no mercado global e dá transparência aos negócios. Além disso, prepara a produção nacional para atender às metas do Brasil para redução das emissões, assinada no Acordo de Paris na COP-21 18/04/2016
COMPARTILHE

São Paulo, 18 de abril de 2016 – O Registro Público de Emissões (RPE) de gases de efeito estufa (GEE) está recebendo, até 10 de maio, inscrições de empresas e de indústrias de todos os setores interessadas em publicar seus inventários de emissões – agregando transparência a seus negócios – e, ao mesmo tempo, atender às regulações brasileiras de redução de GEE para áreas estratégicas da economia nacional, como já indica o chamado Plano Indústria. Os GEE colaboram para o aquecimento global e as mudanças climáticas em curso, e sua redução gradual e contínua no âmbito mundial será mandatória, como ficou evidente no Acordo de Paris assinado por 195 países durante a conferência do clima da ONU (COP-21) em 2015. Para inscrições, clique aqui.

Os GEE colaboram para as mudanças climáticas em curso e sua redução gradual e contínua em nível mundial será mandatória, como ficou evidente no Acordo de Paris assinado por 195 países durante a conferência do clima da ONU (COP-21) em 2015. O Acordo de Paris deve impactar substancialmente a dinâmica do comércio internacional, e produtos e serviços com baixo impacto em emissões de GEE ganharão competitividade global.

No Brasil, a plataforma referência para publicação de inventários é o RPE – uma iniciativa do Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces) da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV/EAESP). A plataforma faz parte das ações do Programa Brasileiro GHG Protocol, que auxilia as empresas brasileiras na mensuração e na gestão de suas emissões por meio do método mais utilizado no mundo, o Green House Gas Protocol (GHG Protocol) (http://www.fgv.br/ces/ghg).

O RPE publica anualmente inventários de empresas de todo o Brasil e dos mais diversos setores. Em 2016, ganhou uma nova versão online, o que possibilitará no futuro a integração de dados de emissões empresariais com outras plataformas – como aquelas que venham a ser mandatórias pela legislação brasileira em construção. Isso significa que as empresas e as indústrias que aderirem ao RPE estarão um passo à frente para se adequar aos novos contextos exigidos pela economia de baixo carbono.

Sobre o Programa Brasileiro GHG Protocol

O GHG Protocol é uma ferramenta utilizada para entender, quantificar e gerenciar emissões de gases de efeito estufa (GEE) que foi originalmente desenvolvida nos Estados Unidos, em 1998, pelo World Resources Institute (WRI) e é hoje o método mais usado mundialmente pelas empresas e governos para a realização de inventários de GEE. É também compatível com a norma ISO 14.064 e com os métodos de quantificação do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC). Entre as características dessa ferramenta, destacam-se o fato de ela oferecer uma estrutura para contabilização de GEE, seu caráter modular e flexível, a neutralidade em termos de políticas ou programas e ainda o fato de ser baseada em um amplo processo de consulta pública. Em 2008, o método foi adaptado ao contexto nacional pelo GVces e pelo WRI em parceria com o Ministério do Meio Ambiente, com o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), com o World Business Council for Sustainable Development (WBSCD) e 27 empresas fundadoras. Desde então, o Programa Brasileiro GHG Protocol é responsável pela adaptação desse método ao contexto brasileiro e pelo desenvolvimento de ferramentas de cálculo para estimativas de emissões de GEE correspondentes. O programa atua também na capacitação de organizações para realizações de inventários corporativos de GEE, tendo capacitado mais de 1.500 gestores desde sua criação. O objetivo é estimular a cultura corporativa de inventário de emissões de GEE no Brasil, proporcionando aos participantes acesso a instrumentos e padrões de qualidade internacional para contabilização das emissões e publicação dos inventários.

Veja mais em: http://www.ghgprotocolbrasil.com.br/

 

Sobre o GVces

Fundado em 2003, o Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces) da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) é um espaço aberto de estudo, aprendizado, reflexão, inovação e de produção de conhecimento, composto por pessoas de formação multidisciplinar, engajadas e comprometidas, e com genuína vontade de transformar a sociedade. O Centro atua na formulação e acompanhamento de políticas públicas, na construção de instrumentos de autorregulação e no desenvolvimento de estratégias e ferramentas de gestão empresarial para a sustentabilidade nos âmbitos local, regional, nacional e internacional. Sua missão consiste em expandir de forma colaborativa as fronteiras do conhecimento, contribuindo para um desenvolvimento sustentável nos setores público e privado. Veja mais em: http://www.fgv.br/ces

 

Sobre a FGV-EAESP

Criada em 1954, a FGV/EAESP (Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas) é reconhecida  como um centro de alto nível na  pesquisa em Administração e na formação de líderes nas esferas empresarial, governamental e acadêmica.  Oferece graduação em Administração de Empresas e Administração Pública, cursos de educação executiva, mestrados e doutorados. Sua qualidade e excelência no ensino são reconhecidas mundialmente. Entre 14 mil escolas de negócios no mundo, apenas 67 possuem a tríplice acreditação internacional e a EAESP é a única do Brasil a conseguir este feito, após passar por rigorosos processos de certificação internacional pelas três mais importantes acreditadoras do segmento educacional: Association to Advance Collegiate Schools of Business  (AACSB), European Quality Improvement System (EFMD) e Association of MBAs (AMBA).

• Escola mais internacionalizada da América Latina mantém mais de 100 parcerias com instituições estrangeiras de renome internacional, em todos os continentes.  Alguns de seus cursos são oferecidos totalmente em língua inglesa

• Já formou mais de 100.000 alunos e atualmente tem mais de 3000 alunos em curso e 250 professores.

• Cursos de graduação em Administração de Empresas e Pública que são a referência de qualidade no Brasil e que vêm continuamente formando líderes do país.

• Doutorado em Administração de Empresas é nota máxima na Capes.

• O programa OneMBA é o melhor MBA executivo do Brasil e um dos 50 melhores do mundo*.

• Tem uma gama de programas inovadores e altamente reconhecidos em nível de especialização e mestrado e que cobrem todos os estágios de desenvolvimento da carreira executiva

• Líder em pesquisa em Administração, contribuindo para o avanço do conhecimento pelos seus programas de doutorado e pelos seus 16 centros de estudos, focados em pesquisa aplicada.

*Executive MBA Ranking 2014, realizado pelo jornal Financial Times.

Veja mais em: http://eaesp.fgvsp.br/

 

Informações para a imprensa:

Insight Comunicação – Tel.: (11) 3284-6147

Claudia Izumi – claudia.izumi@insightnet.com.br

Luana Magalhães – luana.magalhaes@insightnet.com.br