FEBRABAN apresenta Matriz de Indicadores do Protocolo Verde

O trabalho foi desenvolvido pelo GVces a partir de debates promovidos pela FEBRABAN com diferentes setores da sociedade e tem como objetivo identificar o atual status e a evolução da implementação de ações pelo setor financeiro, no contexto do Protocolo Verde. 12/04/2011
COMPARTILHE

Leia na íntegra

 

A Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN) está apresentando a primeira versão da Matriz de Indicadores do Protocolo Verde. A Matriz, que contou com a participação do Bradesco, Bancoob, BB, BNB, Fibra, Indusval, Safra, Tribanco, Votorantim, CEF, Citi, Santander, HSBC, Itaú Unibanco e Rabobank, vai servir para a implementação de uma agenda comum de sustentabilidade no setor financeiro. Segundo o diretor de Relações Institucionais da FEBRABAN, Mário Sérgio Vasconcelos, o trabalho representa uma iniciativa inédita no mercado brasileiro. “Com isso, o setor está construindo uma agenda comum no que diz respeito às questões socioambientais e seus impactos nos negócios bancários”, afirma Vasconcelos.

Construído após debates promovidos pela FEBRABAN com representantes do Ministério do Meio Ambiente, organizações não governamentais, Banco Central, sociedade civil e por meio de consulta pública no site da entidade, o trabalho foi desenvolvido pelo Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getulio Vargas (GVces) e tem como objetivo identificar o atual status e a evolução da implementação de ações pelo setor financeiro, levando em consideração os compromissos assumidos no Protocolo Verde.

Segundo Paula Peirão, pesquisadora de Finanças Sustentáveis e Sustentabilidade Empresarial da GVces, o protocolo inclui cinco princípios e diversas diretrizes que estimulam os bancos a oferecer linhas de financiamento que fomentem a qualidade de vida da população e o uso sustentável do meio ambiente. Entre seus pontos, estão os impactos e custos socioambientais na gestão dos ativos das instituições bancárias, a análise de riscos de projetos e financiamentos e a promoção do consumo consciente dos recursos naturais. O projeto foi iniciado em 2009, com a assinatura do Protocolo pelo ex-presidente da FEBRABAN Fabio Barbosa e pelo ex-ministro do Meio Ambiente Carlos Minc.

As instituições bancárias que aderiram ao Protocolo responderão o questionário até o início de maio. Na sequência, será feita avaliação e o diagnóstico do setor financeiro a partir das respostas dos bancos. Essas respostas permitirão a identificação e a evolução no compromisso com as propostas contidas no Protocolo Verde.

Depois dessa fase, será elaborado um plano de ação para solucionar as principais lacunas encontradas no diagnóstico. A ideia é que sejam formados grupos de trabalho, que vão se reunir mensalmente na sede da FEBRABAN, em São Paulo, para viabilizar a implementação das ações do plano.

Matriz de Indicadores do Protocolo Verde na íntegra