Game da igualdade na FGV

28/11/2016 - Papo Reto - Carolina Stanisci
COMPARTILHE

Nesta manhã de quinta-feira, alguns estudantes universitários foram desafiados a criar um jogo sobre igualdade.  Mais do que ficar no discurso, eles tiveram que colocar a mão na massa e “gameficar” a equidade nas empresas.  A atividade aconteceu na Fundação Getulio Vargas, para quem participa do FIS – Formação Integrada para a Sustentabilidade, coordenado pelo Centro de Estudos em Sustentabilidade.

 

Além do que está na mídia e em todas as discussões sobre o tema, os alunos foram provocados a falar sobre o que denominado de “viés inconsciente”.  Portanto, durante a atividade estiveram presentes as questões clássicas como desigualdade de oportunidades para as mulheres, remuneração diferente e a baixa ocupação do topo da hierarquia, mas também o modelo mental da sociedade brasileira.

 

Provocar a reflexão a partir da vivência dos jovens, para Fernanda Carreira, uma das responsáveis pelo FIS na FGV, é uma “desculpa para uma grande conversa a ser feita nas empresas”.  A gameficação criada pelo grupo de 17 alunos e alunas estará disponível para ser baixada gratuitamente no site e na página do FIS no Facebook.

 

Lutar pelo fim do problema não é só uma questão de inclusão ou de equiparar mulheres e homens.  De acordo com a pesquisa Closing the Gender Gap (algo como Acabando com a desigualdade entre gêneros), a equidade elevaria o PIB mundial em nada mais nada menos que US$ 28 trilhões até 2025.

 

24/11/2016