Práticas empresariais na cadeia de valor são destaque em oficina de ICV Global

O projeto ICV Global deu continuidade à etapa de engajamento de empresas-âncora com a realização da segunda oficina de formação para suas parceiras comerciais; encontro focou o desafio de olhar para as práticas empresariais ao longo da cadeia de valor e repensá-las à luz da sustentabilidade 15/01/2017
COMPARTILHE

Local: FGV-SP, São Paulo/SP
Data: 01 e 06 de dezembro de 2016
Projeto: Inovação e Sustentabilidade nas Cadeias Globais de Valor (ICV Global)
Participantes: Representantes das empresas participantes do 2º ciclo de ICV Global - Etapa com Âncoras
Apresentação: Ana Coelho, Annelise Vendramini, Cristina Fedato, Phillippe Lisbona e Paulo Branco (GVces); Sergio Magalhães
(Fundação Vanzolini); Alexandre Correa, José Otávio de Souza  e Peter Columbi (Vicunha); Luciana Alvarez (Duratex)
Texto: Jéssica Chryssafidis (GVces)
Fotos: Jéssica Chryssafidis (GVces)
 

Com o objetivo de contribuir para o posicionamento de grandes empresas e de suas cadeias de valor no mercado internacional, o projeto Inovação e Sustentabilidade nas Cadeias Globais de Valor (ICV Global) deu continuidade às atividades da etapa de engajamento de empresas-âncora com a realização da segunda oficina de formação no começo de dezembro. Voltada para as parceiras comerciais das duas âncoras do 2º ciclo de ICV Global - Duratex e Vicunha Têxtil - a oficina trouxe à tona o desafio de olhar para as práticas empresariais ao longo da cadeia de valor e repensá-las à luz da sustentabilidade.

Além disso, as empresas foram apresentadas ao Projeto de Extensão Industrial Exportadora (PEIEX), importante iniciativa da Agência Brasileira de Exportação e Investimentos (Apex-Brasil) para incrementar a competitividade das empresas brasileiras em mercados nacionais e internacionais, e à ferramenta "canvas - modelo de negócio".

Incremento para a competitividade das empresas brasileiras dentro e fora do país

Fruto de um convênio entre a Apex-Brasil e instituições de consultoria, pesquisa, ensino e tecnologia, o PEIEX é um projeto que oferece ações de capacitação e consultoria para as empresas brasileiras, a fim de incrementar sua competitividade e disseminar a cultura exportadora. Presente em diversos Estados brasileiros e executado por extensionistas das instituições parceiras, o PEIEX estabelece um processo de atendimento que resulta em um diagnóstico da competitividade da empresa. Além disso, prevê a entrega de um checklist aos atendidos, com ações e prazos relacionados às vendas, marketing, finanças, produção e comércio exterior.

Sustentabilidade e Negócios

Do ponto de vista estratégico, o alinhamento dos negócios aos desafios da sustentabilidade contribui para que as empresas se insirem em mercados de nicho, que demandam e valorizam os atributos de sustentabilidade, e se posicionem em novos mercados na busca de antecipar as demandas e desfrutar as vantagens de ser o pioneiro.

Tendo esse entendimento como pano de fundo, a segunda oficina foi o momento de compartilhar os aprendizados em relação ao diagnóstico de sustentabilidade realizado a partir do preenchimento por parte das empresas parceiras das âncoras de um questionário com cinco dimensões e 58 indicadores. Este questionário foi criado pelo Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV EAESP (GVces) a partir de uma metodologia desenvolvida no âmbito do Índice de Sustentabilidade Empresarial da BM&FBOVESPA e do Guia Exame de Sustentabilidade.

Além de apontar em qual estágio da sustentabilidade a empresa se encontra em relação aos resultados do grupo, o diagnóstico também indica os caminhos para avançar nas agendas sociais, ambientais, econômicas e também no relacionamento com stakeholders inseridos na cadeia de valor.

Colocando o que é relevante no centro da estratégia de atuação e comunicação

O olhar ampliado para os temas da sustentabilidade é sem dúvida um importante marco para que as empresas conheçam mais a fundo as oportunidades e os desafios provenientes de sua operação. Em uma realidade onde recursos são escassos, a pergunta que fica é: como priorizar as ações a serem tomadas? 

Definir os temas prioritários a partir de um olhar para a cadeia de valor empresarial ajuda a dar robustez à estratégia de sustentabilidade. Como apontou Annelise Vendramini, coordenadora do programa Finanças Sustentáveis do GVces, “cabe a cada empresa recorrer a sua atividade operacional e identificar em quais limites planetários esbarra ou gera externalidades, sejam elas positivas ou negativas”. 

O passo seguinte, após definir quais temas e ações serão priorizadas, seria estabelecer um canal transparente junto aos stakeholders, a fim de reportar os avanços e desafios em relação à estratégia de sustentabilidade definida. “Um bom relato de sustentabilidade deve contemplar os desafios que a empresa enfrenta e as formas escolhidas para lidar com esses desafios, sejam eles de ordem social, ambiental ou econômica”, complementa Annelise. 

Dentre as lições aprendidas ao final desta etapa, destaca-se a importância da formalização de práticas de sustentabilidade em políticas e estratégias formalizadas. "Só assim a empresa garante que boas práticas a nível individual sejam institucionalizadas e perdurem ao longo do tempo", comentou Paulo Branco, vice-coordenador do GVces.

Destaca-se também o entendimento de que a inclusão de aspectos de sustentabilidade não pressupõe necessariamente pensar algo novo, mas sim repensar processos e atividades do dia-a-dia que poderiam ser realizadas de maneira mais eficiente.

Por fim, outra lição importante desta etapa foi a importância da visão de cadeia de valor e de ciclo de vida do produto, considerando que órgãos reguladores e sociedade em geral exigirão cada vez mais um posicionamento das empresas com relação aos desafios que são compartilhados entre os diferentes membros da cadeia - por exemplo, geração de resíduos, condições de trabalho, preservação da biodiversidade, relacionamento com comunidades locais, etc.

Próximos passos

A etapa de formação com parceiras comerciais das empresas Duratex e Vicunha Têxtil continua com a realização da terceira oficina em fevereiro de 2017. Neste encontro, as empresas terão um momento para avançar na elaboração de estratégias para a sua internacionalização a partir das ferramentas de gestão sugeridas pelo projeto ICV Global - o Canvas e o Plano de Ação.

Acompanhe aqui as atividades do 2º ciclo do projeto ICV Global.