Precificação do Carbono: SCE EPC é destaque em evento na FEBRABAN

A coordenadora da Plataforma EPC, Mariana Nicolletti (GVces), apresentou a experiência e os aprendizados do Sistema de Comércio de Emissões da Plataforma Empresas pelo Clima (SCE EPC) durante o 'Café com Sustentabilidade' realizado pela FEBRABAN em São Paulo 02/10/2015
COMPARTILHE

Por Bruno Toledo (GVces)

Com os governos se mobilizando para a finalização de um novo acordo climático global, durante a Conferência do Clima de Paris (COP 21) em dezembro próximo, reflexões estão acontecendo em diversas partes do mundo sobre estratégias efetivas para que as nações do mundo consigam cumprir seus futuros compromissos de redução de emissões e, assim, contribuir na luta contra as mudanças climáticas. 

Dentre as ferramentas cruciais para o sucesso dessa missão, estão os instrumentos econômicos, que permitem às economias nacionais reduzir e realocar suas emissões da forma mais custo-efetiva possível. Nas últimas décadas, diversas iniciativas de taxação e/ou de comercialização do carbono foram realizadas pelo mundo, com aprendizados importantes que precisam ser considerados no desenho das novas estratégias de mitigação no pós-2020.

Para aquecer essa discussão no Brasil, conectando-a aos sistema e setor financeiros, a Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN) realizou no dia 22 de setembro passado o “Café com Sustentabilidade”, um evento que reuniu especialistas e representantes de instituições financeiras, do setor empresarial em geral, e do poder público para refletir sobre os caminhos da precificação de carbono no Brasil e no mundo, tendo em vista os compromissos que serão firmados pelos países no novo acordo climático. Um dos destaques desse evento foi a apresentação do Sistema de Comércio de Emissões da Plataforma Empresas pelo Clima (SCE EPC), do GVces, uma simulação que reúne hoje 23 empresas de grande porte no Brasil com o objetivo de oferecer a elas uma experiência realista de precificação de carbono, capacitando-as para contribuir com esse debate no Brasil.

Mariana Nicolletti (GVces) apresenta o Sistema de Comércio de Emissões (SCE EPC) durante o Café com Sustentabilidade na FEBRABAN

“A precificação do carbono internaliza os custos sociais gerados pelas emissões no sistema de preços”, explicou Mariana Nicolletti, coordenadora da EPC. “Na prática, a precificação direciona a demanda dos consumidores para produtos menos carbono intensivos, incentiva fornecedores a adotar processos de produção menos emissores, estimula investidores a optar por projetos com menos emissões, e traz incentivos para a inovação tecnológica”.

Dentro de uma política climática mais ampla, com objetivos de mitigação que orientam o poder público e os agentes econômicos, os instrumentos de precificação podem incentivar a redução de emissões a partir de dois caminhos: sistemas de tributação e mecanismos de mercado. A experiência do SCE EPC, pioneira na América Latina, é um exemplo desse segundo caminho.

Como em todo sistema de comércio de emissões, um dos objetivos dos participantes do SCE EPC é obter a melhor combinação possível entre resultados financeiros e operacionais, equilibrando a redução de emissões com a aquisição de títulos de carbono. Assim, a meta dos participantes é cobrir cada tonelada de dióxido de carbono equivalente (tCO2q) com títulos disponíveis no SCE EPC e obter o menor custo por tCO2e no final do período.

Panelistas no Café com Sustentabilidade na FEBRABAN

Para as empresas, a experiência do SCE EPC vai além do aprendizado operacional sobre comércio de emissões. “O SCE EPC nos oferece um ambiente criativo para debater possibilidades de redução de emissões e para contribuir com proposições para um possível mercado nacional ou regional no Brasil”, apontou João Carlos Redondo, da Duratex, uma das empresas participantes do SCE EPC. “Essa experiência nos auxilia na preparação para cenários futuros, na redução de risco, no aprimoramento da gestão de emissões dentro da empresa, no planejamento estratégico, no incentivo a outras empresas na nossa cadeia de valor, além de incentivar a inovação e melhorar a percepção da nossa marca junto aos públicos de interesse”.

Durante o “Café com Sustentabilidade”, Mariana Nicolletti apresentou também os resultados do primeiro ciclo de atividade do SCE EPC (março-novembro de 2014), disponíveis em relatório divulgado recentemente pela EPC. Saiba mais sobre o SCE EPC aqui.

Fotos: FEBRABAN/Divulgação