Programa Brasileiro GHG Protocol lança versão 2.0 de Registro Público de Emissões de GEE

Plataforma para organizações empresariais e não empresariais ajuda a criar bases para transição à economia de baixo carbono. Interessados em utilizar a ferramenta serão capacitados de fevereiro -- as inscrições já estão abertas 02/02/2016
COMPARTILHE

O Programa Brasileiro GHG Protocol lança em março a versão 2.0 de seu Registro Público de Emissões (RPE). A plataforma é a maior base pública de inventários de GEE (gases de efeito estufa) da América do Sul, com 133 empresas-membro em 2015. 

Criada em 2008, a plataforma é uma iniciativa do GVces da FGV/EAESP (Centro de Estudos em Sustentabilidade da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas) e do WRI (World Resources Institute), com a parceria do Ministério do Meio Ambiente, do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), do World Business Council for Sustainable Development (WBSCD) e de 27 empresas fundadoras.

O lançamento atende a uma sinalização do Acordo de Paris por 195 nações, que apresenta as bases para uma nova fase na transição mundial em direção a uma economia de baixo carbono. Isso exigirá, em um futuro próximo, mecanismos que garantam transparência no acompanhamento das ações de reduções de emissão de GEE – incluindo sistemas de mensuração, relato e verificação (MRV). O acordo também enfatizou o papel que os governos subnacionais devem assumir no combate às mudanças climáticas, o que tende a acelerar e ampliar o estabelecimento de sistemas MRV em nível estadual, como já acontece no Brasil.

A nova versão do RPE tornará possível a integração de dados de emissões empresariais com futuros sistemas de plataformas mandatórias ou voluntárias, de modo que as empresas participantes possam antecipar-se ao processo. “Com tantos mecanismos de relato de informações como temos hoje, as empresas já gastam muito tempo replicando dados em diferentes plataformas. Hoje as informações geradas através do GHG Protocol são utilizadas no relato que as empresas fazem no CDP, ISE, ICO2, DJSI, entre outros”, aponta o coordenador do Programa Brasileiro GHG Protocol, George Magalhães. “Muito em breve, as empresas e outras organizações participantes do programa poderão, com um clique, enviar para outras plataformas as informações, que voluntariamente, já publicam nos seus inventários de GEE”, acrescenta.

 

PÚBLICO-ALVO E INSCRIÇÕES

A nova versão do Registro Público de Emissões (www.registropublicodeemissoes.com.br) estará disponível para as empresas membros do Programa Brasileiro GHG Protocol e para as demais empresas que têm interesse em aderir ao programa. Todas receberão treinamento a partir de 22 e 23 de fevereiro sobre o método GHG Protocol – atualmente o mais utilizado no mundo para realização de inventários de GEE de organizações empresariais e não empresariais.

 

As inscrições para a primeira turma a ser capacitada na metodologia e na nova plataforma já estão abertas. Informações pelo tel. (11) 3799-4150 e e-mail ghgprotocolbrasil@fgv.br – ou acesse www.ghgprotocolbrasil.com.br.

 

Sobre o Programa Brasileiro GHG Protocol

O GHG Protocol é uma ferramenta utilizada para entender, quantificar e gerenciar emissões de gases de efeito estufa (GEE) que foi originalmente desenvolvida nos Estados Unidos, em 1998, pelo World Resources Institute (WRI) e é hoje o método mais usado mundialmente pelas empresas e governos para a realização de inventários de GEE. É também compatível com a norma ISO 14.064 e com os métodos de quantificação do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC). Dentre as características dessa ferramenta, destacam-se o fato de ela oferecer uma estrutura para contabilização de GEE, seu caráter modular e flexível, a neutralidade em termos de políticas ou programas e ainda o fato de ser baseada em um amplo processo de consulta pública. Em 2008, o método foi adaptado ao contexto nacional pelo GVces e pelo WRI em parceria com o Ministério do Meio Ambiente, com o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), com o World Business Council for Sustainable Development (WBSCD) e 27 empresas fundadoras. Desde então, o Programa Brasileiro GHG Protocol é responsável pela adaptação desse método ao contexto brasileiro e pelo desenvolvimento de ferramentas de cálculo para estimativas de emissões de GEE correspondentes. O programa atua também na capacitação de organizações para realizações de inventários corporativos de GEE, tendo capacitado mais de 1.500 gestores desde sua criação. O objetivo é estimular a cultura corporativa de inventário de emissões de GEE no Brasil, proporcionando aos participantes acesso a instrumentos e padrões de qualidade internacional para contabilização das emissões e publicação dos inventários.

Veja mais em: http://www.ghgprotocolbrasil.com.br/

 

Sobre o GVces

Fundado em 2003, o Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces) da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) é um espaço aberto de estudo, aprendizado, reflexão, inovação e de produção de conhecimento, composto por pessoas de formação multidisciplinar, engajadas e comprometidas, e com genuína vontade de transformar a sociedade. O Centro atua na formulação e acompanhamento de políticas públicas, na construção de instrumentos de autorregulação e no desenvolvimento de estratégias e ferramentas de gestão empresarial para a sustentabilidade, nos âmbitos local, regional, nacional e internacional. Sua missão consiste em expandir de forma colaborativa as fronteiras do conhecimento, contribuindo para um desenvolvimento sustentável nos setores público e privado.

Veja mais em: http://www.gvces.com.br/

 

Sobre a FGV-EAESP

Criada em 1954, a Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) foi a primeira escola de administração fundada na América Latina e mantém uma longa tradição na formação de líderes nas áreas empresarial, governamental e acadêmica. Conhecida como um dos centros acadêmicos de maior prestígio nas disciplinas de Negócios e Administração Pública, a Escola se caracteriza pelo constante desenvolvimento de pesquisas e estudos pioneiros e pela vanguarda do conhecimento aplicado, divulgados em publicações e projetos realizados em seus diversos Centros de Pesquisas. Nos últimos anos, vários programas de seu portfólio de cursos foram listados em diversos rankings nacionais e internacionais. A FGV-EAESP se destaca como a Melhor Escola de Negócios no Brasil, com nota máxima na avaliação do MEC e como a primeira instituição da América Latina e uma das poucas no mundo a obter a tríplice acreditação internacional de qualidade de ensino, que inclui o reconhecimento das seguintes agências: AACSB, EFMD e AMBA.

Veja mais em: http://eaesp.fgvsp.br/

 

Informações para a imprensa:

Insight Comunicação – Tel.: (11) 3284-6147

 

Claudia Izumi – claudia.izumi@insightnet.com.br

Luana Magalhães – luana.magalhaes@insightnet.com.br