Projeto Inovação e Sustentabilidade na Cadeia de Valor abre seleção de casos

Iniciativa busca disseminar exemplos de boas práticas no desenvolvimento de produtos, serviços e modelos de negócios inovadores e sustentáveis. Oficinas temáticas e intercâmbio de conhecimento entre PMEs e grandes empresas também fazem parte do ciclo 2012 11/05/2012
COMPARTILHE


O projeto Inovação e Sustentabilidade na Cadeia de Valor , abre no mês de maio as inscrições de cases sustentáveis de pequenas e médias empresas focados na Gestão de Fornecedores.

Parceria entre o Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces) da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV-EAESP) e o Citi, com patrocínio da Citi Foundation, o Projeto Inovação e Sustentabilidade na Cadeia de Valor busca replicar experiências inovadoras em diferentes setores produtivos.

“Queremos compartilhar exemplos que revelem experiências positivas de pequenas e médias empresas (PMEs) na cadeia de valor de grandes corporações. E assim, incentivar que outras empresas contemplem a inovação e a sustentabilidade em seu plano de negócios” explica o coordenador de programa do GVces, Paulo Durval Branco.

Para participar do processo de seleção, as PMEs podem inscrever seus casos no site www.fgv.br/ces/inova. Os casos enviados farão parte da plataforma virtual do projeto Inovação e Sustentabilidade na Cadeia de Valor e passarão por uma seleção realizada por especialistas do GVces. Os seis melhores casos, juntamente com os três que marcaram o início do projeto em dezembro de 2011, serão detalhados em uma publicação a ser lançada no mês de setembro, durante o Fórum de Inovação e Sustentabilidade na Cadeia de Valor. O evento será o encerramento do Ciclo 2012 do projeto.

Durante este Ciclo, serão realizadas também três oficinas temáticas, com o objetivo de aproximar e promover a troca de experiência entre PMEs e grandes empresas, além de apresentar alguns estudos de casos. Informações sobre como as grandes empresas podem aderir ao projeto e participar das oficinas já estão disponíveis no site.

Para a superintendente de Assuntos Corporativos e Sutentabilidade do Citi, Priscilla Cortezze, a relevância do projeto reside no fato das grandes corporações que operam no Brasil estarem sujeitas a regulamentações cada vez mais rigorosas em relação às questões de sustentabilidade. “Isso representa um desafio de adaptação, mas também uma oportunidade para inovar. Além disso, com o crescimento da demanda por produtos brasileiros fora do país, as empresas nacionais têm de cumprir os mais elevados padrões sociais e ambientais e a falta de inovação pode representar perda de competitividade”, afirma Cortezze.

De acordo com o, Paulo Durval Branco, esse é um projeto que gera resultados positivos para toda a sociedade a longo prazo. “Você altera o ciclo linear de ‘pega-faz-descarta’ para um modo de produção que se mostra sustentável e que considera os limites do planeta: é o ‘pede emprestado-usa-devolve’”.

Os primeiros casos

No Fórum de lançamento do projeto Inovação e Sustentabilidade na Cadeia de Valor, em 15 de dezembro de 2011, foram apresentados três casos que ilustram bem o objetivo e o potencial da iniciativa, envolvendo pequenas e médias empresas e grandes corporações.

A Ouro Verde Amazônia, empresa do município de Alta Floresta, no Mato Grosso, desenvolve uma parceria com o Grupo Orsa para a exploração de produtos não madeireiros de origem amazônica, por meio da relação com comunidades locais e da busca pelo manejo sustentável da floresta. Já a Terpenoil, instalada em Jundiaí (SP), fornece para grandes empresas como a Whirlpool produtos de limpeza para processos industriais que têm na sua composição o terpeno, elemento orgânico encontrado na natureza. Localizada em Cotia, a Pack Less investiu no desenvolvimento de um novo tipo de palete para transporte de mercadorias, eliminando uso da madeira e gerando uma série de benefícios ambientais e para o negócio de empresas como a Braskem.

Em comum, esses três projetos representam a cooperação entre as PMEs e as grandes corporações para o desenvolvimento de produtos, serviços e modelos de negócios inovadores e sustentáveis, além de possibilitar a melhoria de processos, redução de custos e riscos e maior eficiência no uso de recursos por parte das grandes empresas.

Sobre o GVces

Criado em 2003, o Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces) da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) atua na formulação e acompanhamento de políticas públicas, na construção de instrumentos de auto-regulação e no desenvolvimento de estratégias e ferramentas de gestão empresarial para a sustentabilidade, no âmbito local, regional, nacional e internacional. Essa atuação acontece por meio de atividades: (i) de educação formal e informal; (ii) de pesquisa aplicada e publicações; (iii) de promoção do debate, mobilização e sensibilização da sociedade para o tema; (iv) de comunicação; (v) e de intercâmbio de experiências e informações, que disseminem conceitos e práticas de sustentabilidade em todas as suas dimensões.

Sobre a FGV-EAESP

Criada em 1954, a Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) foi a primeira escola de administração fundada na América Latina e mantém uma longa tradição na formação de líderes na área empresarial, governamental e acadêmica. Conhecida como um dos centros acadêmicos de maior prestígio nas áreas de Negócios e Administração Pública, a Escola se caracteriza pelo constante desenvolvimento de pesquisas e estudos pioneiros e pela vanguarda do conhecimento aplicado, divulgados em publicações e projetos realizados em seus diversos Centros de Pesquisas. Nos últimos anos, vários programas de seu portfólio de cursos foram listados em diversos rankings nacionais e internacionais. A FGV-EAESP se destaca como a Melhor Escola de Negócios no Brasil, com nota máxima na avaliação do MEC e como a 1ª instituição da América Latina e uma das poucas no mundo a obter a tríplice acreditação internacional de qualidade de ensino, que inclui o reconhecimento das seguintes agências: AACSB, EFMD e AMBA.

Sobre a Citi Foundation

A Citi Foundation está comprometida com o desenvolvimento econômico e a inclusão financeira de indivíduos e famílias, principalmente nas comunidades onde o banco está presente, para que possam melhorar o seu padrão de vida. Globalmente, a Citi Foundation estabelece seus objetivos estratégicos priorizando áreas como: Educação Financeira, Microfinanças, Empreendedorismo, Geração de Renda e Educação de Jovens. Informações adicionais podem ser encontradas em www.citifoundation.com.

Sobre o Citi

O Citi, banco global líder, tem aproximadamente 200 milhões de contas de clientes em mais de 160 países e jurisdições. O Citi disponibiliza para pessoas, corporações, governos e instituições uma ampla variedade de produtos e serviços financeiros, incluindo serviços bancários e de crédito ao consumidor, serviços bancários corporativos e de investimento, corretagem de valores e administração patrimonial.

Para mais informações, visite www.citigroup.com ou www.citibank.com.br │ Twitter – @CitiBrasil │ Blog – CitiBrasil.wordpress.com │ YouTube – youtube.com/CitiBrasil

Informações à imprensa:

GWA Comunicação Integrada

Tel.: (11) 3030-3000

Kelly Souza – kelly.souza@gwacom.com – (11) 6620-2234

Robson Bertolinorobson.bertolino@gwacom.com(11) 8261-8081

Regiane Tosattiregiane.tosatti@gwacom.com - (11) 9213-2750

G&A Comunicação Empresarial

Marcelo de Andrade – marcelo.de.andrade@citi.com – (11) 4009-3172

Renata Torres – renata@gaspar.com.br – (11) 3037-3217