Quinta turma do FIS apresenta os resultados do Projeto Referência

“Fisers” propuseram caminhos para que as empresas brasileiras de mineração promovam a sustentabilidade em sua cadeia de suprimentos 01/07/2012
COMPARTILHE

Por Bruno Toledo (GVces)

 
Depois de quatro meses de discussões, reflexões e descobertas, os alunos da quinta turma da disciplina de graduação da FGV-SP Formação Integrada para a Sustentabilidade (FIS) finalmente apresentaram os resultados finais de seu Projeto Referência no último dia 27 de junho, no Salão Nobre da Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. Neste semestre, com o apoio da Votorantim Metais e do Banco Itaú, o desafio dos fisers – os alunos do FIS - foi apresentar uma política de gestão e desenvolvimento de fornecedores de empresas mineradoras brasileiras que fosse voltada para a sustentabilidade.
 
A apresentação final, parte do processo de avaliação da disciplina, contou com uma banca avaliadora formada por André Carvalho, professor da EAESP-FGV; André Vasconcelos, consultor de sustentabilidade da Votorantim Metais; Camila Ferraz, ex-aluna do FIS e atualmente no Google; Denise Hills, superintendente de sustentabilidade do Banco Itaú; Luís Alexandre Campos, gerente de suprimentos da Votorantim Metais; Mario Monzoni, professor da EAESP-FGV e coordenador do GVces; e Pedro Gattás, analista de sustentabilidade da Natura. A banca foi presidida pelo coordenador do programa de Inovação na Criação de Valor do GVces, Paulo Branco.
 
A reflexão da turma girou em torno da relação entre empresas mineradoras, seus fornecedores - em especial, os de pequeno porte - e as comunidades onde elas operam. Para os fisers, sustentabilidade é uma tarefa de cocriação, onde o que se cria deve ser compartilhado, tanto entre as gerações presentes como com as gerações futuras. Ou seja, existe uma relação simbiótica entre estes atores, o que implica na necessidade destes cooperarem para poder subsistir. Esta visão sobre sustentabilidade marcou a identidade do grupo desta quinta turma do FIS: sYnCO, uma combinação entre simbiose e cooperação.
 
A turma apresentou à banca e ao público as linhas gerais de sua proposta, sustentada por três pilares fundamentais – desenvolvimento, cooperação e diálogo. As iniciativas previstas na proposta do sYnCO incluem ações organizadas dentro das próprias empresas mineradoras (como conscientização de colaboradores), ao longo de suas cadeias de suprimento (como apoio ao desenvolvimento de fornecedores locais) e junto à comunidade local (como indicadores de desenvolvimento local e espaços de diálogo entre a população, o poder público e as mineradoras).
 
Confira aqui o relatório final da turma sYnCO, a quinta turma da disciplina Formação Integrada para a Sustentabilidade (1º semestre de 2012).