Terceiro ciclo de encontros reúne participantes dos GTs para validação da versão preliminar das diretrizes

No terceiro e último ciclo de encontros, os participantes de cada um dos grupos de trabalho se reuniram para a validação da versão preliminar das diretrizes públicas e empresariais nos temas Relações de Consumo, Infraestrutura e Tecnologia e Juventude na Agricultura. 18/10/2018
COMPARTILHE

Em 2018, o FGVces conduziu um grupo diverso de representantes da cadeia de alimentos no Brasil para a construção de diretrizes públicas e empresariais para a inclusão da agricultura familiar. Ao longo de 6 oficinas presenciais realizadas em São Paulo, 1 dia de campo e uma série de conversas e reuniões com especialistas, mais de 120 pessoas de 80 organizações diferentes foram mobilizadas


Essas diretrizes contemplam ações que empresas e governos devem implementar para a cadeia de alimentos seja mais inclusiva para a agricultura familiar, a partir das discussões realizadas em cada um dos eixos temáticos: relações de consumo, infraestrutura e tecnologia e juventude na agricultura. 

A estrutura das diretrizes contempla três elementos essenciais identificados em cada um dos temas, com base no que o grupo vinha construindo desde o início do ano. São eles:

Relações de Consumo

  • Acesso a alimento saudável a toda a população
  • Relações transparentes e disponibilidade de informações
  • Valorização das especificidades da agricultura familiar

 Juventude na Agricultura

  • Estratégias para a sucessão rural e para a atuação de jovens ao campo
  • Empreendedorismo e diversificação de renda
  • Protagonismo para a inovação tecnológicas e a conservação ambiental

Infraestrutura e tecnologia

  • Inovações adaptadas às especificidades da agricultura familiar
  • Demanda e oferta qualificadas de recursos financeiros
  • Apoio técnico para a adoção de novas tecnologias

Entre setembro e outubro de 2018, cada um dos GTs se reuniu pela última vez a fim de validar a proposta preliminar das diretrizes. Os participantes avaliaram as ações específicas atribuídas a governos e a empresas em termos de sua aplicabilidade e relevância. Nos três grupos, as discussões contribuíram para alterar a redação, confrontar opiniões diversas e até mesmo sugerir novas ações, garantindo que as diretrizes reflitam a complexidade da cadeia de alimentos e possam ser implementadas por cada vez mais atores.

Dando sequência à validação nos encontros presenciais, as diretrizes seguirão para uma consulta com especialistas e parceiros estratégicos e devem ser divulgadas ao público em geral em dezembro de 2018.